Por: Christina Gómez

Londres, Reino Unido

Oleg Figlin é o diretor à frente da Consultora Internacional em Blackboard (Blackboard International Consulting). Ocupando o cargo há pouco mais de um ano, depois de passar 14 anos em outra grande empresa de software, a SAP, sua história mostra as possibilidades de crescimento nesse setor e como ele chegou onde está hoje.

Oleg fez graduação em Ciência da Computação e Matemática e trabalhou para várias start-ups antes de se unir à SAP, a terceira maior empresa de software do mundo, depois de IBM e Oracle. Oleg foi engenheiro de software por quatro anos, passando, literalmente, o dia inteiro sentado na frente do computador, em um trabalho que requer muito pouco contato humano com os clientes. Mais tarde, Oleg se tornou Arquiteto de Soluções, introduzindo novos produtos no mercado e trabalhando com os clientes mais estratégicos, de todo o mundo. Foi assim que conseguiu patentear cinco soluções inovadoras para a SAP.

Figlin_OlegNo final desses seis anos, Oleg teve um golpe de sorte. “Eu estava no lugar certo na hora certa”, diz. Ele conheceu um membro da diretoria da SAP, que disse que estava reunindo um grupo de 20 pessoas para trabalharem de maneira mais próxima com os 100 principais clientes da SAP. Levando-se em conta que a SAP tem mais de 60.000 colaboradores e tem presença em todos os países do mundo, essa era uma grande oportunidade. Sem hesitar, ele se candidatou para o trabalho, junto com outros 3 mil candidatos, e acabou sendo selecionado. O trabalho consistia em divulgar novas tecnologias, vender as soluções mais recentes e oferecer direção e liderança a outros consultores na Europa. Ele se tornou Consultor Sênior e começou a pavimentar o caminho que o levou até a Blackboard.

Depois de 14 anos com a SAP e de assumir vários cargos de gerente sênior em pré-vendas e consultoria, Oleg sentiu que precisava mudar. Sua jornada profissional o levaria a outra grande empresa: a Blackboard. Mas antes de Oleg se juntar à empresa, a Blackboard não tinha uma equipe de assessoria e consultoria internacional. Foi aí que ele percebeu que existiam muitas oportunidades futuras, e escolheu gerenciar a empresa como se fosse uma start-up, em vez de uma grande empresa, para poder modelá-la e torná-la no que ela se tornou neste último ano.

Em seu dia a dia na Blackboard, Oleg tem que lidar com novas tarefas e enfrentar novos desafios. Como Diretor de Consultoria Internacional, sua prioridade é entregar maior satisfação do cliente e ajudar as instituições a prever, preparar-se e atingir seus objetivos estratégicos.

Embora a tecnologia tenha um papel muito importante no que a Blackboard é, ter a tecnologia combinada com a expertise correta é um ponto muito positivo para todas as instituições. E quando a consultoria da Blackboard afirma ter expertise, essa não é uma afirmação qualquer. Durante o último ano, a equipe dobrou de tamanho e incluiu profissionais altamente especializados, muitos dos quais se uniram à Blackboard depois de exercer funções em instituições de ensino, com experiência pessoal em desenvolver, gerenciar e oferecer estratégias institucionais para conduzir iniciativas digitais, desenvolvimento do portfólio acadêmico, aperfeiçoamento da experiência do aluno e melhoria do processo.

Durante o último ano, a Blackboard International Consulting se tornou uma das organizações líderes de consultoria em tecnologia e educação. Seu objetivo é ajudar as instituições a focarem em seu negócio principal, que é possibilitar o aprendizado.

Provavelmente, essa é a razão pela qual Oleg é fã do Moodlerooms, pois ele é a ferramenta certa para alcançar tudo isso. “Sabe, eu realmente adoro o Moodlerooms. Ele tem muito potencial (…) e o Moodle é um produto interessantíssimo: sua maior vantagem é ser um produto desenvolvido pela comunidade, e por isso é tão atraente”, diz. De fato, o homem por trás da diretoria da Blackboard está convencido de que as vantagens do LMS de código aberto são palpáveis e tangíveis. “Não é apenas uma tecnologia ou um sistema de aprendizado para alunos e colaboradores, ele também pode analisar resultados, observar o que pode ser melhorado e fornecer conselhos estratégicos sobre como fazer as coisas de um jeito melhor com o tempo.”

Para alcançar o que tinha em mente, uma das primeiras tarefas que Oleg levou adiante como diretor da consultoria internacional foi simplificar a carteira de serviços. Quando ele se juntou à empresa, a Blackboard oferecia 250 serviços diferentes. O número pode impressionar, mas Oleg acredita que as coisas devem ser o mais simples possível. Ele reduziu os serviços a apenas 50, para que fosse mais simples oferecer aos clientes uma solução que funcionasse para eles. Junto com isso, sua equipe também introduziu muitas ofertas novas e atrativas.

Eu realmente adoro o Moodlerooms. Ele tem muito potencial (…) e o Moodle é um produto interessantíssimo: sua maior vantagem é ser um produto desenvolvido pela comunidade, e por isso é tão atraente.

No que diz respeito a seus planos para a Blackboard no futuro, existem três pontos principais que ele espera alcançar este ano. O primeiro é ampliar a carteira de serviços para os clientes atuais. Até agora, o foco principal da Blackboard vinha sendo atrair novos clientes, mas o que Oleg quer fazer é garantir que os clientes existentes possam obter todo o suporte que precisam para se manter atualizados e dar conta dos novos desafios e tendências do mercado. A segunda tarefa para o futuro é garantir que as empresas que trabalham com a Blackboard sejam bem-sucedidas; para isso, todos os serviços oferecidos pela Blackboard serão revisados, dando suporte a objetivos institucionais específicos como, por exemplo, aumentar o número de matrículas, aumentar a retenção e a satisfação do aluno, etc. O terceiro ponto é dar suporte contínuo depois que o projeto é ativado, e se certificar de que todos os clientes tenham um alto índice de satisfação e adoção de produtos Blackboard. A cada cliente será atribuído um Gerente de Êxito do Cliente, que vai trabalhar junto com ele continuamente e vai focar na medição da adoção da tecnologia na instituição, na definição de um roteiro claro para alcançar esses objetivos e no apoio contínuo.

Oleg sabe que ser um “techie” definitivamente lhe ajudou a chegar ao ponto de sua vida em que se encontra agora, pois ele acredita que não é possível ter sucesso na área dos negócios se você não entende a parte elementar da tecnologia com a qual está trabalhando. “Trabalhar na Blackboard tem sido um grande desafio, mas, ao mesmo tempo, também tem sido muito gratificante”, diz Oleg. Ele está muito feliz de colaborar com um mercado com tanto potencial e que pode ter um impacto tão grande na vida de tantas pessoas por meio de algo tão básico, mas ao mesmo tempo tão complexo, como a educação.

Foto: AFP Jack Taylor