Por: Manuel Rivera León

Guadalajara, México

A Universidade Autônoma de Guadalajara (México) tem trabalhado com o Moodle praticamente desde os inícios da plataforma, razão pela qual tem apoiado desde diversos âmbitos os processos acadêmicos que adianta a universidade.

Entendendo as dinâmicas educativas, em 2006 o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento de Software IIDIS da UAG utilizou o Moodle para cobrir as necessidades dos diplomados estrangeiros, com os quais o aluno pudesse manter contato com seu professor depois da aula presencial; após a obtenção de benefícios substanciais de conectividade para retroalimentação de trabalhos, mais professores quiseram aprender a manejar a plataforma e a utilizá-la como apoio para as aulas presenciais. Assim, foram iniciados programas de capacitação de acordo com as necessidades de cada departamento com a produção de objetos de aprendizagem por meio da instrução.

Tais iniciativas serviriam para a consolidação de dois grandes projetos na UAG:

1) As oficinas de pacotes didáticos para o pessoal docente de todas as reitorias da UAG, das quais participou a Coordenação de Tecnologia Educativa a cargo da Mtra. Yadira Esparza e em 5 meses capacitaram pouco mais de 500 professores aumentando o uso de ferramentas tecnológicas como apoio às aulas presenciais.

2) O desenvolvimento de cursos e diplomados a distancia, dirigidos pela Dra. Silvia Adame, que criou as bases para o atual Sistema de educação Virtual na UAG.

Depois de entender a aplicabilidade da plataforma nas metodologias pedagógicas se fortaleceu a criação de conteúdos digitais como o apoio às aulas presenciais, e o nível de institucionalização da plataforma, tanto dos docentes quanto dos estudantes, foi tão alto que na atualidade, além de brindar apoio às aulas presenciais, foi criado um programa sólido de educação virtual (pós-graduação) no qual os estudantes têm a garantia de que podem realizar todos seus estudos sem necessidade de ir à universidade, incluindo trâmites administrativos como inscrições e registro de matérias.

Especificamente, no tocante à educação virtual espera-se que nos próximos 5 anos a oferta educativa em nível de pós-graduação (especializações, mestrados e diplomados) dirigida a estudantes falantes de espanhol  aumente. Como todos os cursos, eles serão oferecidos em um ambiente 100% virtual, e poderão ser tomados por pessoas em qualquer lugar do mundo que falem ou entendam espanhol. Além disso, os desafios continuam já que a UAG é ciente de que é preciso seguir avançando de acordo às exigências da vanguarda educativa. Por isso, o trabalho da UAG é tão importante, e há 20 anos que ela é pioneira entendendo a tecnologia como uma ferramenta para a melhora dos processos pedagógicos.

Igualmente, ressalta o compromisso da universidade de promover nos docentes as atitudes de pesquisa a respeito do Moodle, demonstrando sua coerência com as dinâmicas educativas de hoje.

Assim, um ponto importante é o papel desempenhado pelos estudantes nesta imersão digital bem como a formação que eles precisam para o uso da tecnologia com fins educativos. Por isso, as estratégias apontam para o acompanhamento docente e o envolvimento de ambas as partes, por exemplo, nas redes sociais. Para apoiar essa proposta, existe um programa de orientação na universidade onde é mantido o contato com os estudantes e se realiza o trabalho de acompanhamento, que tem sido muito útil para diminuir a deserção acadêmica.

Por fim, a Universidade Autônoma de Guadalajara, com suas iniciativas e com o fortalecimento de sua estratégia de educação virtual, tem atingido um grande posicionamento que lhe permite competir na América Latina para oferecer programas educativos de qualidade.

Na fotografia de esquerda a direita

*Yadira Esparza, coordenadora de Tecnologia Educativa, Universidade Autônoma de Guadalajara / Dra. Silvia Adame, coordenadora geral de Educação Virtual, Universidade Autônoma de Guadalajara