Por: Manuel Rivera León

Bogotá, Colombia

Em agosto de 2014, o Ministério das Tecnologias, Informação e Comunicações (MinTIC) indicou à Universidade dos Andes para a realização de um projeto de educação virtual focado na criação e desenvolvimento de videogames, chamado de Jump Camp, e esteve dirigido a pessoas de todo o território colombiano com habilidades, capacidades ou interesse na criação de videogames.

Para realizar este projeto, a Universidade dos Andes se apoiou na plataforma Moodle com o intuito de administrar temas de comunicação e suporte de material e conteúdo. Durante o edital se apresentaram 5.000 pessoas das quais foram escolhidas 1.800. Para o final do curso, 542 cumpriram com os requerimentos para a obtenção da certificação. O curso teve uma duração de 4 meses (de agosto a dezembro).

Assim, a dinâmica do projeto esteve dividida em duas fases:

Fase I

Todos os encontros foram realizados por teleconferências que foram emitidas desde a Universidade dos Andes. O curso estava dividido em 3 níveis (básico, intermédio e avançado) e as pessoas escolhidas receberam as aulas de acordo a seu nível de conhecimento. É importante ressaltar que a atividade foi apoiada pelos ViveLabs, espaços criados pelo MinTIC, distribuídos em toda a Colômbia e equipados para a produção de conteúdos digitais; aí as pessoas que participaram tiveram as ferramentas para a criação de seus projetos.

Para encerrar satisfatoriamente o curso os participantes deveram completar 80% das aulas e cumprir com os requerimentos necessários para cada nível. No caso do nível intermédio e avançado, eles deviam apresentar 1 e 3 videogames, respetivamente, além dos trabalhos e leituras adicionais.

Atendendo a isso, parte do programa buscava motivar as pessoas para finalizar o curso, e por essa razão foi criado um concurso onde os estudantes tinham que descrever, através de um documento, o videogame que queriam desenvolver. No final, houve 10 ganhadores que receberam treinamento adicional e foram levados ao congresso mais importante sobre desenvolvimento de videogames: o Game Developers Conference, em San Francisco.

Fase II

O desafio agora é oferecer o curso em modalidade MOOC, disponível e aberto para todo o público. O curso ficará na plataforma Moodle e serão mantidos os canais de comunicação com os conselheiros. A ideia primordial desta segunda fase é motivar as pessoas para finalizar o curso em esta modalidade; além disso, é um espaço pioneiro na Colômbia que, sem dúvida, irá enriquecer as experiências de aprendizagem de todos aqueles apaixonados pelos videogames.

Por fim, assumir a liderança deste tipo de iniciativas foi para a Universidade dos Andes uma grande oportunidade para visibilizar a indústria dos videogames, bem como para dinamizá-la. É importante desenvolver este tipo de projetos porque eles geram crescimento em indústrias pouco exploradas no país. Cada dia há mais pessoas interessadas na criação e desenvolvimento de videogames, e as iniciativas como esta da Universidade dos Andes são o início de projetos grandes e ambiciosos no futuro próximo.

Na fotografia de esquerda a direita:

*Pablo Figueroa, professor associado, Universidade dos Andes / Óscar Ramírez, desenvolvedor de videogames

Foto por: Victoria Holguín